Estudo mostra o custo da violência para o País

16-01-2018

 

Estudo elaborado pelo Observatório Nacional de Segurança Viária dá visibilidade a um dos grandes problemas do Brasil: o custo decorrente da violência no trânsito. O levantamento, feito com base em dados totalizados de 2015, revela que naquele ano o número de mortes atingiu a marca de 38.651, ao custo total de R$ 52.283.362 bilhões. Significa que cada brasileiro gastou R$ 255,69 ao longo do ano com hospitais, médicos, infraestrutura, medicamentos e pronto-atendimento, entre outros custos, por meio de impostos. Recursos que deixaram de ser investidos em setores essenciais.

Os dados permitem analisar os custos por Estado. Piauí e Tocantins lideram o ranking, com R$ 500,00 por habitante, quase o dobro da média brasileira. Nas demais regiões, os Estados com maior gasto per capita são o Mato Grosso do Sul, no Centro-Oeste, o Espírito Santo, no Sudeste, e o Paraná, no Sul.

Em termos absolutos, a região Sudeste é a que mais gasta com acidentes de trânsito, já que é a mais populosa e dona da maior frota do país: R$ 17,4 bilhões. Um dado importante nesses números compilados foi o aumento do valor gasto nos acidentes de trânsito pela região Nordeste, que tem apenas 65% da população de todo Sudeste. Em 2015, o Nordeste gastou apenas R$ 1 bilhão a menos do que o Sudeste: R$ 16,4 bilhões. Os custos com os acidentes nessas duas regiões significam mais de 50% do total gasto em todo País. E a frota da região Nordeste é 35% menor do que a do Sudeste: 15 milhões de automóveis contra 44 milhões, segundo dados do Denatran (Departamento Nacional de Trânsito) verificados naquele ano.

Entre os Estados, em termos absolutos, o Pará é o que mais gasta na região Norte. No Centro-Oeste, Goiás fica na primeira posição. No Sul, o Paraná. No Nordeste, o Ceará fica na primeira posição, enquanto no Sudeste São Paulo lidera.

Na outra ponta do ranking, os Amazonas e Amapá são os que apresentam os melhores resultados, com gasto per capita menor que R$ 160,00. Os Estados com gastos abaixo da média nacional são Rio de Janeiro, São Paulo, Acre, Bahia, Rio Grande do Sul, Distrito Federal, Rio Grande do Norte e Minas Gerais, nessa ordem.

Leia aqui a íntegra do levantamento feito pelo Observatório Nacional de Segurança Viária.