Mapa revela que nossa Via Láctea é deformada

Compartilhe
TwitterFacebookWhatsApp

CIÊNCIA

 

Se pudéssemos observar nossa galáxia de fora, a centenas de milhares de anos-luz, veríamos vários braços espirais que formam um disco aproximadamente circular. Mas, dependendo da posição, observaríamos que o disco não é perfeito: além de ter um centro volumoso por causa da concentração de estrelas e gás, o plano galáctico está empenado, como uma tábua de madeira que se curvou sob a chuva.

Essa deformidade da Via Láctea é conhecida desde o final do século XX, mas, como os astrônomos só podem observar as bordas da galáxia a partir de dentro, não tinham conseguido descrevê-la com precisão. Um novo mapa publicado na Nature Astronomy localiza 1.339 estrelas da Via Láctea em três dimensões para oferecer a primeira visão fiel desse empenamento, informa reportagem de Bruno Martín, para a edição brasileira do El País.

“É como se a gente pegasse um disco de plástico flexível e, levantando um extremo, dobrasse o outro para baixo”, ilustra o astrônomo Francisco Garzón, do Instituto de Astrofísica das Canárias (Espanha), que não participou da pesquisa publicada na Nature Astronomy. Há várias décadas, descobriu-se que a galáxia não era plana, por causa da distribuição do gás hidrogênio em sua periferia. Mas o novo estudo não se baseia em observações do gás; em vez disso, cartografa a posição de estrelas individuais que servem como pontos de referência distribuídos pelo disco.

Leia a íntegra da reportagem no El País.

  Publicações

  Para pensar