Espaço Democrático lança obra sobre reforma política

04-10-2017

O ex-governador Cláudio Lembo: “O que se pretende com a pesquisa é evidenciar o modo de ação de cada uma das técnicas oferecidas”

 

Resultado final de estudo sobre as propostas de reformulação da legislação eleitoral, conduzido por professores e alunos dos cursos de pós-graduação em Direito da USP e da Universidade Presbiteriana Mackenzie, o livro “Reforma Política – Um Mito Inacabado”, coordenado pelo ex-governador de São Paulo Cláudio Lembo e organizado pela professora Monica Herman S. Caggiano, será lançado nesta quinta-feira (5), às 19 horas, no auditório do Espaço Democrático (fundação do PSD para estudos e formação política), à rua Santo Antonio, 184, Bela Vista, em São Paulo.

Coeditado pelo Espaço Democrático e pela Editora Manole, o livro, segundo explica Cláudio Lembo, toca “em áreas sensíveis, a exemplo da revisão do instituto da reeleição, do financiamento da atividade político-eleitoral, da figura da coligação, do problema da fidelidade partidária, do difícil diálogo acerca da cláusula de barreira ou de desempenho, da redução do tempo de campanha eleitoral, da lista aberta ou fechada e do voto distrital”.

De acordo com Lembo, “o que se pretende com a pesquisa é evidenciar o modo de ação de cada uma das técnicas oferecidas; apresentar ao leitor, eleitor, cidadão, um quadro operativo das ideias e instrumentos idealizados, enfim, explicitar e abrir novo caminho para eventual decisão”.

Na apresentação da obra, o ministro da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, Gilberto Kassab, presidente licenciado do PSD, explica que “a Fundação Espaço Democrático não poderia deixar de apoiar o esforço dos pesquisadores, até porque esses resultados configuram importantes marcos norteadores da atividade legislativa”. Ele conclui lembrando que os resultados apresentados no livro “revelam a preocupação com a cidadania, com o eleitor, com a função eleitoral, com o próprio exercício do poder político, que nas democracias reclama participação consciente e capacitada para a garantia da boa governabilidade”.