A ex-doméstica brasileira que assumiu cargo sênior no governo dos EUA

Compartilhe
TwitterFacebookWhatsApp

NÃO DEIXE DE LER

 

Natalicia Tracy: “Se você disse que eu não posso fazer alguma coisa, eu vou te provar o contrário”

 

Como muitos brasileiros que imigram para os EUA, Natalicia Tracy foi submetida a jornadas abusivas de trabalho como empregada doméstica. Apesar disso e de outras dificuldades, se tornou líder trabalhista e acadêmica com PhD nos Estados Unidos.

Conheça, em reportagem publicada pela BBC News, a história da imigrante brasileira que acaba de assumir o cargo de conselheira sênior para a Agência de Saúde e Segurança Ocupacional do Departamento de Trabalho do governo de Joe Biden.

Natalicia Tracy chegou nos Estados Unidos em 1989 para trabalhar na residência de uma família brasileira em Boston. Além de cuidar de um bebê de dois anos, desempenhava todas as tarefas domésticas da casa. A jornada ia das seis da manhã às onze da noite. Não podia receber cartas e tampouco usar o telefone.

De acordo com as leis trabalhistas americanas ela estava num trabalho considerado escravo. Consciente de seus direitos, em 2006 começou a atuar como voluntária no Centro do Trabalhador Brasileiro, do qual se tornou diretora-executiva em 2010.

Quando seus empregadores voltaram ao Brasil, ela permaneceu nos EUA. Casou-se com um americano e começou a se dedicar aos estudos. Concluiu o ensino médio, cursou Psicologia e Sociologia e obteve o mestrado e PhD, com um estudo que relaciona imigração, raça, família e classe.

Por sua experiência pessoal e profissional foi convidada a assumir o cargo governamental americano. “Essa consciência de ser mulher, imigrante e negra, eu uso isso como uma arma, de forma que sei quem sou e sei da minha capacidade. E se você disse que eu não posso fazer alguma coisa, eu vou te provar o contrário”, declara a brasileira.

  Publicações

  Para pensar