Investigação acusa YouTube de negar mudança climática

Compartilhe
TwitterFacebookWhatsApp

TECNOLOGIA

 

O YouTube está falhando no controle da desinformação a respeito da mudança climática. Uma investigação realizada pela organização não governamental Avaaz e divulgada pela edição brasileira do espanhol El País mostra que a plataforma de compartilhamento de vídeos pertencente ao Google “induz milhões de pessoas a verem vídeos de desinformação climática todos os dias”. Embora a ONG admita que a plataforma já fez algumas melhoras, seu algoritmo de recomendações continua sendo um aliado das teorias conspiratórias sobre o aquecimento global e seu sistema leva os anúncios de grandes empresas – e inclusive de reconhecidas ONGs ambientais, como WWF e Greenpeace – a acompanharem esses vídeos tóxicos.

Em entrevista para o repórter Manuel Planelles, do El País, a coordenadora de campanhas do Avaaz, Julie Deruy, disse: “Exigimos que o YouTube deixe de recomendar e promover conteúdo desinformativo pernicioso”. A ativista nega que sua organização busque censurar vídeos. “Este conteúdo”, afirma ela em referência aos vídeos com desinformação sobre o aquecimento global, “pode permanecer no YouTube, mas não deveria ser recomendado ou promovido entre os usuários”. “Queremos um debate igualitário e saudável, baseado em fatos”, acrescenta. Leia a íntegra da reportagem do jornal espanhol aqui.

  Publicações

  Para pensar