Livrarias de Londres reabrem; leitores, ansiosos, retornam

Compartilhe
TwitterFacebookWhatsApp

NÃO DEIXE DE LER

 

A loja de livros usados Bookmongers of Brixton, em Londres.

Depois de quatro meses de confinamento, as livrarias de Londres foram autorizadas a reabrir e a receber clientes ávidos para consumir literatura. Em São Paulo, mesmo em horário reduzido, a maioria já está aberta ao público respeitando as medidas de prevenção ao coronavírus. Veja o impacto do retorno para leitores e comerciantes em algumas das mais badaladas e tradicionais livrarias londrinas em matéria de Alex Marshall, do The New York Times, publicada pela revista Exame (Leia a íntegra).

Com um vaso de flores em uma mesa perto da entrada e uma grande garrafa de álcool em gel, Cathy Slater, proprietária da Dulwich Books, estava ansiosa para receber seus primeiros clientes depois de um longo período de portas fechadas. Para sua decepção, 20 minutos após a abertura, o primeiro cliente entrou à procura de post-it. O desapontamento durou pouco, a próxima freguesa pediu um livro sobre mitologia grega para os seus filhos.

Na loja de livros usados Bookmongers of Brixton, sentado atrás de uma tela de plástico transparente, seu proprietário Patrick Kelly demonstrava preocupação com o futuro dos negócios e a ausência dos turistas consumidores de livros. Bastou uma onda de clientes começar a comprar para dissipar sua tensão.

Já a Waterstones, a maior rede de livrarias da Grã-Bretanha, abriu com uma medida inusitada de segurança: qualquer livro manuseado por um cliente e não comprado ficaria em “quarentena” por 72 horas, reduzindo os riscos de infecção.

Porém nem todos optaram pela abertura. A Pages of Hackney permanece fechada. Como é pequena, se cumprisse a medida exigida de manter 2 metros de distância entre as pessoas, a livraria só poderia receber um cliente por vez. A loja obteve sucesso durante o bloqueio com vendas on-line. Jo Heygate, gerente da livraria atribui o sucesso à fidelidade de seus clientes e o grande interesse por questões raciais do momento, uma literatura que a loja sempre ofereceu.

  Publicações

  Para pensar