Piores cenários preveem ‘apocalipse eleitoral’ nos EUA

Compartilhe
TwitterFacebookWhatsApp

NÃO DEIXE DE LER

O presidente Donald Trump

Os americanos vivem um mal estar generalizado. A 40 dias da eleição presidencial nos EUA, tanto a imprensa como os eleitores têm a sensação de estar em uma espécie de antessala de um apocalipse eleitoral. Na reportagem de Mariana Sanches para o site BBC Brasil, vários fatores são apontados para indicar que a democracia americana enfrenta seu maior desafio desde a Guerra Civil de 1864 (leia a íntegra).

Dentre as questões que assombram os EUA está a grande possibilidade de atraso na apuração, gerando incerteza no resultado do pleito presidencial. Candidatos que não reconhecem a derrota ou que reivindicam vitória sem ter vencido, podem detonar conflitos entre os próprios americanos.

De um lado existem os eleitores que apoiam o presidente Donald Trump. De outro, os milhares de manifestantes que foram às ruas por justiça racial.

“Na história dos Estados Unidos, várias vezes realizamos eleições presidenciais durante tempos de guerra, mesmo durante uma guerra civil. Esses são os únicos precedentes comparáveis como o que estamos vivendo agora, pelo nível de incerteza e de tensão”, afirmou à BBC News Brasil o historiador Bruce Schulman, diretor do Instituto de Política Americana ligado à Universidade de Boston.

 

O candidato democrata Joe Biden

 

Não se trata de uma paranoia generalizada. Na última quarta-feira (23), o FBI alertou para um ataque em massa de desinformação vindo especialmente de fontes russas.

Partem do próprio presidente Trump algumas das causas da tensão pré- eleitoral. Ele lança dúvidas se fará uma transição pacífica caso perca para seu rival, o democrata Joe Biden. Trump critica duramente a votação por correio e chegou a sugerir que as pessoas votem duas vezes. Uma por carta e outra presencialmente o que seria absolutamente ilegal.

Votos que podem ser anulados por erros dos eleitores no sistema postal. Brigas jurídicas para validação das cédulas, provocando judicialização das eleições. Atrasos nos resultados. Desinformação em massa via redes sociais. São enormes os desafios a serem vencidos para que prevaleça nos EUA a democracia que já foi considerada uma das mais sólidas do planeta.

  Publicações

  Para pensar