Posto abandonado da PM vira biblioteca no Rio

Compartilhe
TwitterFacebookWhatsApp

NÃO DEIXE DE LER

 

O escritor Jesse Andarilho: projeto já conta com cerca de 10 mil livros de diferentes gêneros literários.

 

Na favela de Antares, no Rio de Janeiro, em local que antes era palco de constantes tiroteios, surge a Biblioteca Marginow. Um posto abandonado da Polícia Militar se converteu em ponto de conhecimento e esperança para a comunidade.

Durante a pandemia de covid-19, o escritor Jesse Andarilho, nascido na favela, queria mostrar à sua comunidade que os livros podem transformar vidas. Tal transformação está em curso. Reportagem de Matheus Rodrigues para o site G1 relata como se desenvolveu o projeto que já conta com cerca de 10 mil livros de diferentes gêneros literários. Além de abrigar a biblioteca, o espaço está sendo aproveitado como centro cultural para também estimular dança, esportes e música (leia a íntegra).

A transformação do ambiente é notada pelos frequentadores que antes tinham medo de passar pelo local por causa dos tiroteios. Silvana Cristina é moradora de Antares e aprovou a criação da biblioteca durante a pandemia de Covid-19, período que sua filha ficou sem aulas. “Hoje eu estou feliz porque aqui na comunidade tem um ponto cultural. Acho interessante esse ponto de cultura, não só pela minha filha, mas por todas as crianças na comunidade. Eles estão aprendendo bastante coisa, que não tinha e hoje tem”.

  Publicações

  Para pensar