Zoom pode ser um desastre na sua privacidade

Compartilhe
TwitterFacebookWhatsApp

QUARENTENA

 

O isolamento social compulsório provocado pela pandemia do coronavírus contribuiu para que novas ferramentas de comunicação digital bombassem na Internet. No Brasil, a plataforma de videoconferência Zoom cresceu 1900% em usuários após quarentena. Um aumento estratosférico, passando de 200 milhões de usuários – eram 10 milhões em abril de 2019.

Mas o que parecia um case de extraordinário sucesso se transformou numa grave ameaça à privacidade dos usuários e um caso para o FBI. É o que revela reportagem de Felipe Germano publicada no site Tilt (Leia aqui).

O aumento fez com que especialistas se debruçassem sobre a plataforma para comprovar sua segurança. E a descoberta de graves erros de segurança e privacidade deixou muito usuário de cabelo em pé. Descobriu-se que uma das falhas, invasão de chamadas, poderia ser explorada em apenas 16 segundos. Outra permitia que hackers tomassem o controle de webcams e microfones de usuários de Mac.

O executivo-chefe da empresa, Eric Yuan, reconheceu os erros e pediu desculpas aos usuários da plataforma, alegando que não contavam com um aumento tão repentino no número de acessos. E que isso os deixou expostos às falhas. “Não projetamos o produto com a previsão de que, em questão de semanas, todas as pessoas no mundo de repente trabalhariam, estudariam e socializariam em casa.

  Publicações

  Para pensar