Educação domiciliar desconstrói esforço do Brasil para colocar criança na escola

Compartilhe
TwitterFacebookWhatsApp

Diálogos no Espaço Democrático

 

 

O Brasil fez um grande esforço, ao longo de governos de vários partidos, para colocar suas crianças na escola: construiu leis para obrigar os pais a matricularem seus filhos, contra o trabalho infantil, e fez até um programa de transferência de renda condicionada, o Bolsa Família, para garantir o acesso à escola. Todo este trabalho corre o risco de ruir com o projeto de lei em tramitação no Congresso Nacional, que regulamenta o ensino doméstico – que se popularizou no Brasil como homeschooling, forma como é chamado em inglês.

A opinião é de dois educadores, Alexandre Schneider e Hubert Alquéres, entrevistados no programa “Diálogos no Espaço Democrático”, produzido pela fundação do PSD e disponível em seu canal de Youtube.  O programa também pode ser acessado no podcast do Espaço Democrático. Schneider é presidente do Instituto Singularidades e pesquisador do Laboratório de Tecnologias de Aprendizagem Transformadora da Universidade Columbia, em Nova York, onde foi professor adjunto. É pesquisador do Centro de Economia e Política do Setor Público da FGV/SP e ex-secretário municipal de Educação de São Paulo. Hubert Alquéres é integrante da Academia Paulista de Educação e do Conselho Estadual de Educação. Foi secretário adjunto da Educação do Estado de São Paulo no governo de Mário Covas, professor no Colégio Bandeirantes e na Escola Politécnica da USP.

Para Schneider, a família tem papel muito importante na educação, mas não exclusivo: “A escola é um espaço de colaboração, de criação de laços, de coesão social e deve ser frequentada por todos”. Alquéres lembra que a criança tem direitos que são dela e os pais não podem usurpar. “Quando um pai escolhe que é melhor para o seu filho não conhecer, por exemplo, a teoria darwinista, entra em um direito que não é dele, é intrínseco da própria criança”. O exemplo se refere ao fato que deflagrou a discussão sobre a educação domiciliar no Brasil: uma família de Canela, no Rio Grande do Sul, em 2012 foi à Justiça para ensinar, em casa, apenas a teoria criacionista.

Schneider e Alquéres foram entrevistados pelo jornalista Sérgio Rondino, que é âncora do programa de entrevistas, com a participação do cientista político Rogério Schmitt, do sociólogo Tulio Kahn, e da secretária nacional do PSD Mulher e da fundação Espaço Democrático, Ivani Boscolo.

  Publicações

  Para pensar