Pesquisar

tempo de leitura: 2 min salvar no browser

{ luto }

Filósofo e historiador Antônio Paim morre em São Paulo

Considerado um ícone do pensamento liberal brasileiro, ele faria 94 anos no próximo dia 7

Antonio Paim faria 94 anos no próximo dia 7

 

O filósofo e historiador Antônio Paim, consultor do Espaço Democrático desde que a fundação do PSD foi criada, morreu da tarde de hoje, em São Paulo, vítima de complicações de uma pneumonia. Paim, que faria 94 anos no próximo dia 7, era considerado um ícone do pensamento liberal, que ele adotou depois de ativa militância no Partido Comunista Brasileiro e após viver durante anos na extinta União Soviética.

Nascido em Jacobina, município de 80 mil habitantes localizado no extremo Norte da Chapada Diamantina, na Bahia, Paim concluiu o curso de Filosofia na Universidade Lomonosov, em Moscou, em uma fase da vida na qual abraçou o marxismo.

Desencantado com as ideias socialistas soviéticas, voltou ao Brasil e foi atraído pelos ideais do liberalismo. Foi professor de várias universidades brasileiras e pesquisador em áreas como Filosofia Brasileira, Pensamento Político Brasileiro, Filosofia Luso-Brasileira, Filosofia Moral, Filosofia da Educação e História das Ideias.

Participou ativamente da política nacional. Elaborou, por exemplo, projetos preparatórios para a Constituição de 1988 e dedicou especial atenção às fundações dos partidos políticos, como o Instituto Tancredo Neves (criado sob o guarda-chuva do PFL e hoje ligado ao DEM) e o Espaço Democrático, do PSD. É extensa a gama de assuntos que aborda em sua profícua obra: desde a formulação de políticas para a privatização e desburocratização até estudos sobre a reforma partidária, sempre com o propósito de garantir a representação dos interesses dos eleitores.

Toda esta história refletiu diretamente na produção intelectual de Paim. Ele é o autor de mais duas dezenas de livros, entre os quais se destacam “História das Ideias Filosóficas no Brasil”, vencedor do Prêmio Jabuti na área de Ciências Humanas em 1985, e “História do Liberalismo Brasileiro”, um clássico reeditado recentemente. A Fundação Espaço Democrático editou um livro de sua autoria em 2019: “Personagens da política brasileira”, no qual ele faz perfis de 30 personalidades que, ao seu juízo, desenvolveram papel fundamental na construção do Brasil que conhecemos.

Desde 2019 Paim também dá nome à sala de leitura instalada na sede do Espaço Democrático, em São Paulo. Ali estão reunidos títulos doados por ele próprio. Paim vivia em uma casa de repouso para idosos na zona Sul de São Paulo.


ˇ

Atenção!

Esta versão de navegador foi descontinuada e por isso não oferece suporte a todas as funcionalidades deste site.

Nós recomendamos a utilização dos navegadores Google Chrome, Mozilla Firefox ou Microsoft Edge.

Agradecemos a sua compreensão!