Pesquisar

tempo de leitura: 2 min salvar no browser

{ ELEIÇÕES }

Nova conjuntura política é tema de análise no Espaço Democrático

Cientistas políticos Rubens Figueiredo e Rogério Schmitt avaliaram como fica o País a partir de 2023

Redação: Scriptum

O País que Luiz Inácio Lula da Silva assumirá no dia 1º de janeiro de 2023 tem pelo menos três grandes desafios a serem encarados na área econômica. Viabilizar recursos para manter o Auxílio Emergencial de R$ 600 instituído pelo governo de Jair Bolsonaro e cumprir duas promessas para o terceiro mandato do petista: a isenção de Imposto de Renda para pessoas físicas que ganham até R$ 5 mil mensais e reajustes anuais reais do salário mínimo. Não é pouco, como lembrou nesta terça-feira (1) o cientista político Rubens Figueiredo, que fez uma análise da eleição nacional na reunião semanal do Espaço Democrático – a fundação para estudos e formação política do PSD. O resultado final das eleições estaduais foi analisado por Rogério Schmitt, também cientista político.

O cientista político Rogério Schmitt apresentou um balanço das eleições para os governos estaduais. O Republicanos – que elegeu Tarcísio de Freitas em São Paulo e Wanderlei Barbosa no Tocantins – vai governar o maior número de eleitores no Brasil, 35,7 milhões; o PT, que elegeu governadores no Ceará, Piauí, Bahia e Rio Grande do Norte – fica na segunda colocação deste ranking, com 23,2 milhões de eleitores; e o PL, que ganhou no Rio de Janeiro e Santa Catarina, governará 18,3 milhões de eleitores. Estes resultados espelham a polarização que ocorreu na disputa para a presidência da República. O PSD elegeu dois governadores, como nas duas eleições anteriores: Fábio Mitidieri, em Sergipe, e Carlos Massa Ratinho Júnior, no Paraná. O partido também estará na gestão do governo de São Paulo, com Felicio Ramuth, eleito como vice de Tarcísio de Freitas.

Schmitt apresentou também um balanço dos deputados estaduais eleitos este ano. As duas primeiras posições no ranking de parlamentares eleitos para as Assembleias Legislativas são ocupadas pelo PL de Bolsonaro (129 deputados) e o PT de Lula (118). O PSD elegeu 78 deputados estaduais em todo o Brasil – a sexta maior bancada de parlamentares em Assembleias Legislativas e maior número já registrado na história do partido.

Participaram da reunião semanal do Espaço Democrático, além dos cientistas políticos Rubens Figueiredo e Rogério Schmitt, os economistas Luiz Alberto Machado e Roberto Macedo, os gestores públicos Januario Montone Júnior Dourado, o sociólogo Tulio Kahn, o especialista em gestão Rafael Auad, o coordenador do PSD Movimentos, Ricardo Patah, e o jornalista Eduardo Mattos.


ˇ

Atenção!

Esta versão de navegador foi descontinuada e por isso não oferece suporte a todas as funcionalidades deste site.

Nós recomendamos a utilização dos navegadores Google Chrome, Mozilla Firefox ou Microsoft Edge.

Agradecemos a sua compreensão!