Pesquisar

tempo de leitura: < 1 min salvar no browser

{ DIÁLOGOS NO ESPAÇO DEMOCRÁTICO }

Pandemia pode obrigar Brasil a rever modelo de federalismo

Em entrevista ao programa Diálogos no Espaço Democrático, cientista político Rogério Schmitt apontou que União concentra muitos recursos e os Estados e municípios muitas responsabilidades. Assista.

 

 

 

A crise provocada pela pandemia do coronavírus talvez obrigue o Brasil a repensar a divisão de recursos e responsabilidades entre os entes federativos, segundo o cientista político Rogério Schmitt, consultor do Espaço Democrático – a fundação de estudos e formação política do PSD. “O problema do nosso federalismo é que a União concentra muitos recursos e os Estados e municípios muitas responsabilidades, e não só na área da saúde, mas em todas as outras”, enfatiza ele em entrevista ao programa Diálogos, da TV Espaço Democrático.

Schmitt analisa, em entrevista ao sociólogo Tulio Kahn, ao cientista político Rubens Figueiredo e ao jornalista Sérgio Rondino, o conflito em relação ao isolamento social, que colocou, de um lado, o governo federal, e, de outro, os governos estaduais e municipais. “A Constituição brasileira fala em competências concorrentes e não exclusivas, e a saúde pública se encaixa neste conceito”, diz ele. “Os três níveis de governo têm responsabilidades específicas”.

Esta é a terceira entrevista da série Diálogos no Espaço Democrático – todas elas feitas por meio do uso de ferramentas de conferência remota – para tratar de temas relacionados ao coronavírus. Já foram entrevistados o sociólogo Tulio Kahn, que falou sobre os modelos matemáticos utilizados para avaliar o avanço da contaminação, e o professor Marcus Vinicius de Freitas, da Universidade de Relações Internacionais da China, em Pequim, que abordou o multilateralismo e a globalização após a pandemia. As entrevistas podem ser  vistas aqui.


ˇ

Atenção!

Esta versão de navegador foi descontinuada e por isso não oferece suporte a todas as funcionalidades deste site.

Nós recomendamos a utilização dos navegadores Google Chrome, Mozilla Firefox ou Microsoft Edge.

Agradecemos a sua compreensão!